Ícone com o símbolo de libras Lê-se: Acessível em VLibras
Created with Sketch. Created with Sketch. Right Icon Created with Sketch. Right Icon Created with Sketch. Created with Sketch. Created with Sketch.
Created with Sketch. Created with Sketch.
Ícone de expandir slides Created with Sketch. Created with Sketch. Created with Sketch. Created with Sketch. Created with Sketch. Created with Sketch.

Parece cena de ficção, mas molhar o smartphone acidentalmente é um caso bastante comum. Piscina, praia e tarefas domésticas, como lavar a louça, são episódios já conhecidos. Então, o que fazer quando o celular cai na água?

Aliás, vale acrescentar que a umidade pode atingir o aparelho até mesmo durante as atividades físicas. Isso porque o suor excessivo também é motivo suficiente para danificar as peças do equipamento.

O problema é que água e eletrônicos não combinam e todas essas eventualidades podem provocar danos severos no seu smartphone, principalmente se o aparelho não for resistente ou à prova d’água.

Para saber o que fazer depois que o celular caiu na água, separamos algumas dicas preciosas para ajudar você. Vem com a gente e saiba mais!

Celular caído dentro do caso sanitário e uma mão preste a pegá-lo. Celular caído dentro do caso sanitário e uma mão preste a pegá-lo.

Dicas do Guru | 5 dicas para proteger o celular na praia

#vivoguru

Tem como recuperar um celular que caiu na água?

Muitas vezes, economizamos muito para comprar um celular de ótimo desempenho e com as melhores câmeras, não é? Por esse motivo, a principal dúvida na hora que o smartphone fica molhado é saber se dá para recuperá-lo. Afinal, além do investimento, guardamos contatos, fotos, informações pessoais e mensagens importantes. Então, imagina perder esses dados porque derrubou o celular na água?

Uma dica interessante, caso você tenha perdido o celular por descuido ou porque ele molhou, é salvar suas fotos, vídeos, dados e documentos importantes na nuvem. Com isso, você tem acesso a esses arquivos facilmente por qualquer outro dispositivo conectado à internet.

Mas, voltando a falar do aparelho que caiu na água, a boa notícia é que, em muitas situações, é possível salvá-lo, desde que você siga alguns cuidados. E, quando a gente fala em cuidados com um eletrônico molhado, saiba que as precauções são, inclusive, para evitar perigos, como curtos-circuitos.

O que fazer quando o celular molha e não liga mais?

A água é prejudicial para os componentes eletrônicos, pois pode oxidar as peças e circuitos, afetando, portanto, o funcionamento do dispositivo. O líquido também pode prejudicar o display, causando danos à tela do celular.

Para que esses problemas não aconteçam, veja o passo a passo a ser seguido, caso tenha derrubado seu smartphone na água:

Celular caído na água e uma mão tentando pegá-lo. Celular caído na água e uma mão tentando pegá-lo.

1. Retire o aparelho da água

A primeira medida pode parecer óbvia, mas quanto antes você retirar seu celular da água, menos danos ele sofrerá, pois você evita que o líquido invada mais as partes internas.

Se o seu aparelho estiver ligado na tomada, antes de pegá-lo da água, desligue a energia elétrica da sua casa para evitar choques.

2. Evite mexer demais no celular

Sabemos que a primeira ação que dá vontade de fazer depois que o celular caiu na água é ligar ou reiniciar o aparelho para saber se ele está funcionando, mas deixe a ansiedade de lado e espere ele secar completamente antes de ligá-lo.

Forçar o aparelho a ligar com as peças ainda molhadas pode acelerar os danos no circuito interno. Então, deixe o celular desligado! E, se ele estiver ligado, a dica é desligá-lo.

3. Não tente ligar o celular de cara

É comum que a gente tente secar o smartphone na roupa ou em uma toalha, mas o ideal é mexer o mínimo possível para evitar que mais água penetre internamente.

4. Desmonte as partes possíveis do celular

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o display não é a peça mais frágil no caso de o celular molhar.

Apesar da sensibilidade do display, as peças internas são as que apresentam maior chance de oxidar, de modo que o smartphone pode reiniciar sozinho várias vezes após cair na água.

Por isso, para otimizar o processo de secagem, remova partes como:

  • capinha;

  • bateria (se possível);

  • chip; 

  • cartão microSD. 

Por mais que nem todos os dispositivos tenham uma quantidade significativa de peças removíveis, o melhor a se fazer é desmontar o aparelho o máximo possível.

No caso da bateria, ela pode causar ainda mais danos se permanecer no celular. Por isso, se o seu aparelho permitir a remoção, faça isso imediatamente após o celular cair na água, cuidando para não manusear muito o dispositivo e espalhar ainda mais a água. 

5. Limpe todas as peças do celular com um pano seco

Depois dos cuidados iniciais, coloque o celular e as peças que retirou em um papel toalha ou guardanapo para que a água seja absorvida. O ideal é limpar o smartphone com um pano seco que não solte fiapos para retirar o excesso da umidade.

Se houver a possibilidade de remoção de algumas peças, é importante secá-las individualmente.

6. Deixe o celular secar naturalmente

Secar o aparelho com um pano seco não garante, por si só, o funcionamento imediato, porque a água pode ficar armazenada nas peças não removíveis.

Para garantir que ele fique bem sequinho, vale a pena deixar o aparelho secando naturalmente em um ambiente aberto sob um pano ou guardanapo.

É importante que o dispositivo não esteja em contato direto com superfícies que podem superaquecer no sol, como metal ou concreto.

A atenção ao tempo de exposição solar também é essencial. Em alguns locais com temperaturas mais altas, essa exposição pode superaquecer o smartphone e provocar danos às peças.

7. Utilize sílica em gel para absorver a umidade

Mesmo após deixar as peças do celular secando naturalmente, alguns componentes internos ainda podem estar um pouco úmidos. Para mais segurança, é bom que o aparelho entre em contato com substâncias capazes de absorver a umidade dos ambientes, como a sílica em gel.

A sílica em gel é aquele acessório usado em armários para evitar a proliferação de mofo, e pode ser essencial para recuperar o seu celular molhado. Um método que você pode seguir é imergir o aparelho em um pote cheio da substância, de modo a cobrir todas as peças.

Caso não tenha uma grande quantidade de sílica em gel em casa, outra dica que funciona muito bem é colocar o smartphone dentro de um saco plástico com dois saquinhos da substância por um período de 24 horas ou mais, a depender de quão molhado ele esteja.

No caso das peças avulsas, é importante que cada uma esteja em um saco diferente, ok?

Se você tem a necessidade que o aparelho funcione o mais rápido possível, os saquinhos de sílica em gel podem encurtar o tempo de espera de seis a oito horas.

Imagem de uma pessoa secando a tela de um celular com um lenço. Imagem de uma pessoa secando a tela de um celular com um lenço.

Quanto tempo o celular deve ficar desligado após cair na água?

A vontade de ligar novamente o celular é grande para voltar a usar a internet e seus apps, né? Mas o ideal é que você só ligue o aparelho que molhou depois de se certificar de que está completamente seco. Dessa maneira, você evita um curto-circuito.

Então, caso tenha deixado o celular na sílica em gel, espere, no mínimo, 24 horas para tentar ligar o smartphone de novo.

Pode secar o celular com secador de cabelo?

Não é indicado utilizar o secador de cabelo para recuperar o celular que caiu na água. Até porque, o ar muito quente pode superaquecer os componentes do smartphone. E, mesmo se utilizar o ar frio do secador, você corre o risco de empurrar as gotas para as peças internas do celular.

Quando arrumar ou quando comprar um celular novo?

Mão consertando a placa interna do celular após ele cair na água. Mão consertando a placa interna do celular após ele cair na água.

Mesmo que você tome todas as medidas citadas neste texto, a umidade pode oxidar os componentes internos do seu aparelho. Nessa situação, o ideal é verificar se vale a pena fazer o conserto em uma assistência técnica.

No geral, infelizmente, a assistência técnica não cobre danos causados aos celulares em razão de exposição à água ou ao suor. Os smartphones e tablets apresentam funções que apontam se o aparelho foi exposto à água, de modo que se torna mais fácil identificar a ocorrência desse tipo de acidente.

Portanto, se o celular quebrar, a primeira opção é fazer um orçamento em um local autorizado para ver se vale mais a pena reparar o smartphone ou adquirir um novo. Se o custo para recuperá-lo for alto ou não houver chances de fazê-lo funcionar, o ideal é comprar um novo aparelho.

Para conhecer os melhores modelos, inclusive de celulares resistentes à água, a dica é ir direto para a Loja Vivo. Lá, você terá uma vitrine variada, com diversos lançamentos e marcas, além de condições especiais.

Quais são as principais certificações de celulares à prova d’água?

Para quem já passou pela angústia de perder um celular porque ele caiu acidentalmente na água e não deseja mais vivenciar essa situação, uma das opções é investir em um celular à prova d’água.

Fique atento às certificações que o smartphone deve possuir para garantir esse recurso. As principais são a IP67 e IP68, e diferenciam entre ser “à prova d'água” ou “resistente à água”.

A IP67 garante o funcionamento do aparelho mesmo após um mergulho de até um metro de profundidade, por até 30 minutos. Já a certificação IP68 traz a proteção de até 3 metros de profundidade em 30 minutos.

Investir em um celular à prova d'água é uma opção interessante para quem não quer arriscar ter perda total no celular quando molha.

Já sabe o que fazer quando um celular cair na água?

Sabemos a chateação que é se o seu celular caiu na água. No entanto, é importante manter a calma e não se arriscar tentando abrir o aparelho por conta própria ou mesmo ligá-lo ainda molhado.

Caso as medidas não funcionem, não deixe de procurar a assistência técnica ou se presentear com um novo aparelho na Loja da Vivo.

Boa sorte e até a próxima! 

Leia também

Escolha sua cidade